Excerto do vídeo Viagem/
Excerpt from video Voyage
2009 – loop
2009 – loop

Antes de surgir este vídeo, havia um objectivo que era chegar ao ponto mais alto do atelier. O vídeo que surgiria dessa acção teria como título precisamente a própria acção “Até Ao Ponto Mais Alto do Atelier”. Nesse momento, o objectivo transformara-se numa obstinação desvariada. Não sabia como o fazer. Na prática, bastaria subir para uma cadeira ou subir por uma escada, e, conceptualmente, já teria atingido o objectivo primordial. Mas para transformar esta acção num vídeo, decidi construir um sistema para realizar uma viagem até ao cimo do atelier. Os recursos utilizados foram várias roldanas alimentadas por um sistema mecânico arcaico. A certa altura, o processo já obrigara a despender mais energias a resolver os problemas mecânicos do que na obra propriamente dita. Na conclusão, a máquina de filmar nunca chegou ao topo do atelier. E, não tentei outro sistema para atingir o cume. O vídeo ficou em loop, numa viagem em contínuo.

Before this video being made, there was a goal of reaching the highest point of the studio. The video which would result of that particular action would be entitled precisely as the action itself “Up to the Highest Point in the Studio”. At that moment, the goal had become in to a batly obstinacy. I didn’t know how to do it. In practice, I would only need a chair or a ladder and, conceptually, I would have reached the primordial goal. But, to transform this action on a video, I decided to build a way/system to make a trip to the top of the studio. The resources used were: several fed by an archaic mechanical system. At that point, the process had already forced me to use a lot more energy to solve the mechanical problems than the piece itself. To conclude, the video camera never reached the top of the studio. And as I never tried another away the video stayed in loop, on a continuous trip.

Os comentários estão fechados.